faceralis

 

ANUARIO123

Eventos

opelA vitória do piloto francês Laurent Pellier e do seu navegador Thierry Salva, da equipa Saintéloc Racing, marcou a estreia bem-sucedida da ADAC Opel e-Rally Cup, aquele que é o primeiro troféu monomarca do mundo realizado com automóveis elétricos. Foram 13 as equipas, de um total de cinco países, que se apresentaram à partida do ADAC Rallye Stemweder Berg, ao volante dos seus Opel Corsa-e Rally de 100 kW (136 cv), imprimindo um ritmo eletrizante, no sentido mais verdadeiro do termo, nas exigentes classificativas de asfalto da região de Lübbecke.

"A ADAC Opel e-Rally Cup teve uma estreia em grande", comentou o Diretor da Opel Motorsport, Jörg Schrott. "O Corsa-e Rally revelou uma performance brilhante, registando tempos impressionantes, com um plantel com andamentos muito próximos. A infraestrutura de carregamento também correspondeu às nossas expectativas, garantindo que o rali decorresse sem problemas. Estamos muito satisfeitos, mas isso não significa que estejamos mais confortáveis. Pelo contrário, aprendemos muitas coisas novas e continuaremos a trabalhar arduamente na otimização dos detalhes".

Estreia em grande nos ralis de Timo Scheider, ex-campeão do DTM,

Entre os estreantes na caravana dos participantes constava um nome particularmente proeminente: Timo Scheider. O duplo campeão do DTM e ex-piloto de fábrica da Opel sentiu-se, de imediato, como peixe na água neste novo ambiente competitivo. Navegado por Tobias Braun, piloto de 42 anos que, presentemente, disputa o Mundial de Ralicross (WRX), revelou uma gradual evolução a cada classificativa disputada, vindo a terminar num impressionante 5º lugar da Taça.

"Este resultado e este que foi o meu primeiro rali superaram, em muito, as minhas expectativas", disse Scheider, piloto que em 2003, numa equipa composta por Marciel Tiemann, Manuel Reuter e Volker Strycek, deu uma vitória à geral ao Opel Astra V8 Coupé nas 24 Horas de Nürburgring. "Foi incrível e muito divertido! O Corsa-e Rally é um grande carro que nos dá imediatamente muita confiança. A cada quilómetro fui ficando cada mais confortável com a condução e com as notas de andamento, mas nunca julguei poder alcançar um quinto lugar!"

Corsa-e Rally permitiu emocionantes 'co-drives' a várias celebridades

Para além da realização da primeira prova da Taça e da prestação das equipas que a integram, a Opel teve outro Corsa-e Rally em ação, saindo para a estrada à frente do plantel de concorrentes. Tratou-se de uma viatura VIP, conduzida por Volker Strycek, lendário piloto de competição da Opel, que atuou como 'motorista' para diversos convidados, incluindo o ator Roman Knižka e a modelo Ashley, uma das participantes no programa de TV "Germany's Next Top Model", ela que garantiu a vitória numa recente ação fotográfica da Opel, realizada após o final da temporada daquela popular série.

Quanto à ADAC Opel e-Rally Cup 2021, a segunda prova desta temporada de estreia irá ter lugar no próximo dia 7 de agosto, no ADAC Holsten Rallye, que também se realizará na Alemanha.

almeidafra«De aguma forma surpreendido pelo ritmo que conseguimos imprimir desde o início - já que só havimos feito duas passagens em reconhecimento - mas no final alguma frustração porque podíamos ter feito ainda melhor que este terceiro lugar entre os Peugeot 208Rally4». Obviamente satisfeito pela conquista, Pedro Almeida lamentou a ligeira saída de estrada na primeira passagem por Moyenmoutier onde deixou ficar mais de 2'minutos. «Foi um toque com a traseira num conjunto de madeira e o carro ficou preso na valeta, o que nos fez perder muito tempo ali. Perdemos ritmo e confiança mas da parte da tarde voltamos aos registos que nos haviam valido no dia anterior a vitória numa das especiais» acrescentou o piloto.

Este Rallye Vosges Grand Est, disputado em pisos de asfalto, foi o primeiro do piloto em França, onde vai voltar em Julho para mais dois ralis. «Foi um rali muito intenso, muito disputado, e se fizermos a análise troço a troço, verificamos que o nível é muito igual e com todos os pilotos da copa a ficarem separados por escassos segundos, o que é excelente para quem assiste mas também para nós pilotos, porque nos obrigar a estar no melhor nível e no a andar no limite» assinalou o piloto. A justificar esta intensa luta o facto de só depois de concluída a última especial do dia, Pedro Almeida e Hugo Magalhães conquistarem o pódio. «Nunca deixamos de lutar e travamos uma intensa batalha pelo terceiro lugar em todas as classificativas da tarde, uma posição que acabou por nos sorrir depois da desistência de um dos pilotos na última classificativa, e consequência desta luta ao segundo que todos travamos durante as 14 especiais de classificação» rematou o piloto.

A próxima prova do calendário de Pedro Almeida é também pontuável para o Peugeot Rally Cup de França.

pedroPedro Almeida e Hugo Magalhães estão em França, onde vão estar à partida do Rallye Vosges Grand Est, a realizar nos dias 11 e 12 de junho.

Com um Peugeot 208Rally4 assistido pela equipa francesa Sarrazin Motosports, o piloto parte com alguma curiosidade para a prova, em especial para perceber a valia dos adversários. «Estivemos a analisar o campeonato, que tem sido muito disputado e a um nível elevado, e estamos de alguma foma curiosos para perceber onde podemos chegar» começou por referir Pedro Almeida.

Este Rallye Vosges Grand Est é também para a dupla o primeiro da temporada em asfalto e daí que nestes primeiros dias de semana Pedro Almeida e Hugo Magalhães estejam dedicados a um conjunto de testes com o Peugeot 208. «Vamos testar o carro 2ª e 3ªfeira, perceber também as alterações a fazer para o asfalto e ajustar algumas ideias para esta fase da temporada» Diz Pedro Almeida. «Queremos muito procurar fazer aqui em França um bom resultado nesta competição, na convicção de que será uma mais valia para todo o calendário que temos pela frente» acrescentou o piloto.

camposO experiente piloto e ex-campeão nacional de ralis Miguel Campos vai alinhar na Peugeot Rally Cup Ibérica na temporada de 2021.

Um projeto que surge em parceria com a equipa PT Racing e que deixa o piloto muito satisfeito: "A Peugeot é uma marca que está no meu ADN e da qual guardo as melhores recordações. Estar por isso presente numa competição com a sua chancela, muito profissional e disputada, é sempre um prazer, principalmente quando acompanhado por uma estrutura com cartas dadas na modalidade como a PT Racing."

Depois de as últimas épocas terem sido pautadas por presenças pontuais nos eventos nacionais, a participação na competição ibérica marca o regresso ao ativo de forma regular do piloto português. "À luz do contexto atual, é muito bom ter a oportunidade de poder colocar de pé um projeto com estas características e agradeço a todos os meus patrocinadores o apoio e a confiança para o tornar possível. É um novo capítulo no meu percurso desportivo que abraço com o empenho e profissionalismo com que tenho encarado todas as etapas da minha carreira", afirmou.

O piloto ainda não teve ocasião de rodar com o Peugeot 208 Rally 4 que irá utilizar, mas está confiante nas potencialidades de um carro que o irá obrigar a uma readaptação: "Desde 2004, ano em que pilotei o Peugeot 206 Super 1600, que não conduzo um modelo de tração dianteira, por isso vou ser obrigado a mudar o chip. No entanto, isso só me motiva mais."
Miguel Campos realça também a importância da filosofia da Peugeot Rally Cup: "É uma competição ibérica, em que lutamos com armas iguais com pilotos de grande valia, fatores que me agradam e que sempre me motivaram bastante na desporto automóvel. Acredito que será um bom desafio e o objetivo será sempre lutar pelos lugares cimeiros."

O primeiro confronto ao cronómetro acontece no espaço de 15 dias, com o Rali Terras D'Aboboreira, de 30 de abril a 1 de maio, ronda de abertura da competição.

Calendário Peugeot Rally Cup Ibérica 2021:
Rali Terras D'Aboboreira (30 de abril-1 de maio)
WRC Vodafone Rali de Portugal (20-23 de maio)
Rally de Ourense (16-17 julho)
Rally Blendio Princesa de Asturias (10-11 de setembro)
Rally Serras de Fafe e Felgueiras (24-25 de setembro)
WRC Rally RACC Catalunya (15-16 de outubro)

opel1A Opel equipou o carro de ralis totalmente elétrico Corsa-e Rally com um sistema de som especial que torna o automóvel audível em prova, na estrada (ver video). Durante os ralis, é fundamental que tanto os espectadores como os comissários da organização se apercebam da aproximação de um carro, principalmente nos troços especiais cronometrados. Equipado com um sistema de som único, o Corsa-e Rally fará a sua estreia nos dias 7 e 8 de maio, na ronda de abertura do ADAC Opel e-Rally Cup, o primeiro troféu monomarca do mundo para carros de ralis elétricos.

Ficou claro desde o início do projeto que o Opel Corsa-e Rally iria necessitar de um sistema de som. A Federação Alemã de Desporto Automóvel (ADAC) exige que os carros de ralis sejam audíveis, para segurança de comissários e espectadores. No entanto, como em todos os outros aspetos do conceito revolucionário de "ralis para carros elétricos", ninguém tinha qualquer experiência no desenvolvimento desses sistemas de som.

A primeira questão abordada foi sobre um hardware capaz de oferecer potência e robustez para o efeito. Os altifalantes disponíveis comercialmente surgem, de um modo geral, instalados dentro de veículos ou no interior de edifícios, pelo que raramente possuem caraterísticas de impermeabilização. Contudo, para que um automóvel de competição de ralis elétrico se tornasse audível, os altifalantes deveriam ser montados no exterior, ficando totalmente expostos a todos os elementos, desde poeira a lama.

Os engenheiros da Opel pesquisaram o material disponível em matéria de altifalantes de elevada robustez e durabilidade, encontrando a solução ideal nos acessórios marítimos. Assim, o Corsa-e Rally passa a dispor, à frente e atrás, de dois altifalantes à prova de água, cada um com 400 Watt de potência máxima de saída. Esse potencial sonoro é gerado por um amplificador que recebe os sinais da sua própria unidade de controlo, 'caixa negra' que opera com um software específico, convertendo os dados do veículo.

O sistema funciona em função das rotações por minuto, tornando audíveis as rodas em movimento. A afinação final desse som levou vários meses a ser alcançada. O software foi desenvolvido de forma contínua e o resultado final consiste num "som de ralenti" estacionário, que se adapta a todas as faixas de regime e de velocidade.

O volume pode ser ajustado em dois níveis de potência: na condução em vias públicas, nomeadamente entre troços cronometrados, é utilizado um modo silencioso; já em competição, o volume é elevado ao máximo durante as especiais cronometradas. Os regulamentos exigem que as equipas ajustem o volume de acordo com estes padrões.

"A nossa intenção não foi simplesmente simular o som de um motor a combustão, mas sim criar um som elétrico único, que se adequasse ao projeto", refere Jörg Schrott, Diretor da Opel Motorsport. "Estamos satisfeitos com o resultado obtido e acreditamos que a sonoridade vai também vai agradar ao público durante a especiais cronometradas, embora seja um som deliberadamente diferente do de um carro de ralis tradicional com motor de combustão"

O sistema de som será testado pela primeira vez em competição nos dias 7 e 8 de maio, no 33º ADAC ACTRONICS Rally Sulingen, evento que marca a abertura da temporada da ADAC Opel e-Rally Cup.

107106105109